Saúde em Dia
CONTAGEM DE RETICULÓCITOS

Amostra: Sangue Total com EDTA (2mL);

Condição da amostra e interferentes: Não é permitido realizar o teste caso a amostra com EDTA tenha sido congelada; 

Amostras coaguladas ou hemolisadas devem ser desprezadas.

Estabilidade e conservação: Até 12h em temperatura ambiente;

Até 24 horas refrigerada.

O ideal é realizar a preparação do exame em até 6h após a coleta.

Preparo do paciente: Não é necessário jejum

Interpretação: Valores aumentados são encontrados na hiperatividade da medula óssea reticulocitose, como por exemplo, nas anemias hemolíticas, hemorragias ou resposta terapêutica de anemias carenciais;

Valores diminuídos são encontrados na hipoatividade da medula óssea (reticulocitopenia), como por exemplo na aplasia medular.

Valores de referência

Contagem relativa: Adultos: 0,5 a 1,5 %;

                                 Crianças: 1,0 a 2,5%;

                                 Recém-nascidos: 3 a 7% (cordão umbilical)

Contagem absoluta: Adultos: 25.000 a 75.000/ mm3 

                                   Crianças: 25.000 a 100.000/mm³

Aplicação: 

A contagem de reticulócitos é usada para determinar se a medula óssea está respondendo de modo adequado às necessidades do corpo de produção de hemácias e para esclarecer o mecanismo de diferentes tipos de anemia. Costuma ser pedida junto com a contagem de hemácias, a hemoglobina e o hematócrito, usados para avaliar a gravidade da anemia. Quando o paciente está com deficiência de ferro, de vitamina B12 ou de folato, doença renal, supressão de medula óssea resultante de quimioterapia ou transplante de medula óssea, ou está sendo tratado com eritropoietina, o médico pode pedir a contagem de reticulócitos com um hemograma, em intervalos regulares, para acompanhar a função da medula óssea e a resposta ao tratamento. Quando há elevação do número de hemácias, do hematócrito e da hemoglobina, a contagem de reticulócitos pode ser usada para determinar a intensidade da produção excessiva de hemácias.