Saúde em Dia
Critérios para doação de sangue são rígidos. Entenda os motivos

Por que há tantos critérios para a doação de sangue? A hematologista Odila Moura, da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo, explica que os critérios se dão para a proteção do doador e do receptor do sangue. Muitas das recomendações e proibições, temporárias ou não, se dão porque os bancos de sangue trabalham com todas as possibilidades que podem ocorrer durante uma transfusão, mesmo que elas sejam mínimas

Quanto sangue uma pessoa pode doar? E quantas pessoas essa quantidade pode ajudar? De acordo com a hematologista, a doação de sangue entre mulheres é de 8 ml por quilo e, entre homens, de 9 ml por quilo. Dessa maneira, a doação pode variar de 405 ml a 495 ml. Ela afirma que por conta do fracionamento dos componentes sanguíneos, essa quantidade pode ajudar entre três e quatro pessoas 

Qual o tipo sanguíneo mais raro? A médica afirma que o tipo sanguíneo mais raro é o AB-. Entretanto, o tipo de sangue que mais precisa de doações é o O-, pois esse sangue é capaz de doar para todas as outras tipagens e, geralmente, os receptores precisam de mais de uma bolsa de sangue, o que faz com que os estoques diminuam rapidamente

Por que mulheres que estejam amamentando não podem doar sangue? A médica explica que mulheres que estejam amamentando não podem doar sangue pois, por meio do leite materno, elas transmitem o ferro ao bebê e, se fizessem uma doação, também perderiam esse mineral, o que pode gerar anemia

Pessoas que tomam remédios anticoagulantes, tarja preta ou medicamentos psiquiátricos podem doar sangue? Odila afirma que, geralmente, não é recomendado que essas pessoas façam a doação, pois são tratamentos contínuos e, dependendo das substâncias, podem ser passadas para o receptor, como o caso dos anticoagulantes, que podem afinar o sangue de quem recebe a doação. A médica afirma que o ideal é que a pessoa entre em contato com o banco de sangue e esclareça sua situação e o medicamento para que possa ser feita a verificação de aptidão para doar

Por que pessoas que tenham feito endoscopias não podem doar sangue? Odila afirma que pacientes que tenham feito endoscopia devem esperar seis meses para que possam fazer uma doação sanguínea, pois o material do exame não é descartável e tem higienização complexa, o que, por menores que sejam as chances, podem propiciar a transmissão de hepatite C

Qual o destino do sangue doado? Odila afirma que o sangue doado possui inúmeros destinos, podendo ser utilizado em cirurgias de grande porte, durante o tratamento de pacientes com câncer, pessoas com sangramentos agudos, que podem ser por facadas ou tiros, por exemplo, e tratamentos de anemias

No que implica a extração dentária na proibição de doação de sangue? Odila explica que a proibição temporária da doação entre pessoas que tenham feito cirurgias na boca ou extraído dentes se dá porque as gengivas são extremamente vascularizadas, e a boca é uma área cheia de germes. Dessa maneira, esses germes poderiam cair na corrente sanguínea e causar infecções ao receptor

Por que diabéticos não podem doar sangue? A hematologista afirma que a doação entre diabéticos dependentes de insulina não é recomendada pois, por utilizarem uma insulina que não é humana, o receptor, ao receber o sangue, pode criar anticorpos contra a substância e gerar complicações

Se o doador mente em algum dos requisitos, após o colhimento do sangue é possível descobrir? Embora existam exames para a verificação de doenças transmissíveis, requisitos como tatuagens recém feitas não podem ser descobertas. Odila explica que, por isso, o doador deve assinar um documento na entrevista, alegando que todas as informações passadas sejam verdadeiras

Por que pessoas que foram detidas não podem doar sangue? Odila afirma que a recomendação se dá por conta do risco de a pessoa que tenha passado pela detenção tenha sido forçada a praticar atos sexuais, o que implicaria uma possível transmissão de DSTs (doenças sexualmente transmissíveis)

Quando é feita a doação de sangue para um parente, esse sangue vai direto para ele? Cerca de 99% dos casos, não. Na maioria das ocasiões, o sangue que o paciente recebe é proveniente de um banco de sangue. Porém, em casos de doação específica, em que o pai faz questão de doar o sangue para o filho, por exemplo, o sangue recebido, se compatível, pode vir de um familiar

Qual a diferença entre doação de sangue e plasma? O plasma é um componente do sangue que pode ser doado conforme a necessidade do paciente. Porém, diferentemente de outros países, no Brasil não há comercialização de plasma. Odila explica que, em países como os EUA, a pessoa pode receber uma recompensa financeira pela doação de plasma que é direcionada para a indústria farmacêutica que fabrica produtos hemoderivados.